30 de jul de 2007

Continuidade e Permanência no Mercado



O lema do (ISC)2 é muito adequado a realidade de praticamente todos os negócios: security transcends technology (segurança transcende a tecnologia), algo que a maioria das organizações ainda não percebeu. Isso é péssimo para os profissionais da área, que acabam não tendo o seu trabalho valorizado como deveria, para as organizações que só tem uma dimensão exata desta importância quando o problema toma proporções que doam no bolso daqueles que recebem os polpudos bônus anuais, e para a sociedade, que dependendo do impacto pode viver uma tragédia.

Quando o acidente com o vôo 3504 ocorreu, publiquei um post onde levantei a bola da ausência completa de um Plano de Continuidade de Negócios na TAM. Em seguida, publiquei outro post onde falei sobre o desconhecimento dos executivos desta empresa sobre a necessidade de um Plano de Resposta a Incidentes, componente comum na disciplina citada anteriormente.

Dando sequência ao que podemos aprender com esta tragédia, veja que ROI, ROSI e a sopa de acrônimos usados por vendedores de produtos de segurança para impressionar clientes de nada vale quando temos fatos concretos e tendências de mercado geradas por um Evento de Ruptura e incrementados pela falta de gerenciamento dos envolvidos. As evidências estão nas notícias abaixo, que não foram escritas por um profissional de Segurança da Informação.

  • 05/08/07: Acidente afeta marca TAM, dizem especialistas: O acidente com o Airbus da TAM não terá impacto direto sobre os resultados financeiros da companhia, visto que as despesas com perdas materiais e indenizações serão cobertas por seguro. Mas os efeitos sobre a marca TAM poderão ser enormes, em função das críticas às atitudes da empresa frente à tragédia de 17 de julho e também diante da atual crise aérea, avaliam especialistas em marketing.
  • 23/07/07: Com acidente, valor da TAM cai R$ 1,7 bilhão: Em três pregões na Bovespa, ações da companhia desvalorizaram 17%. Tragédia pode ter impacto também no preço do seguro de aviões.
  • 19/07/07: Ações da TAM Caem 6,6%: As ações PN da TAM lideravam as perdas no Ibovespa nesta quarta-feira, após o acidente de ontem com um avião da companhia no aeroporto de Congonhas.
  • 18/07/07: Ações da TAM perdem 9% e Bovespa cai: A queda de 8,93% da TAM foi uma reação do mercado ao pior acidente aéreo do país, que já tem 176 mortos confirmados.